segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Respeito aos mais velhos

Na semana passada eu assistia, sem saber o que era, ao Concerto do 25º Aniversário do Hall da Fama do Rock & Roll no Madison Square Garden.
Primeiramente me surpreendi com uns senhores que tocavam e cantavam muito, eram o Nash & Friends (Nash, Crosby e Stills ). E aí eles chamaram uma senhora de cabelos vermelhos com uma mecha branca na frente, era Bonnie Raitt.
Eu não podia saber o que estava por vir. A música era Love Has No Pride. Confesso que chorei, eu nunca tinha visto aqueles velhinhos mas eu sabia que eles sabiam o que estavam fazendo ali, os carinhas de cabelos brancos só faziam backing vocal na música e os cabelinhos do meu braço se arrepiavam cada vez que chegava o refrão. Bonnie cantava como se o amor de sua vida tivesse acabado de sair pela porta para nunca mais voltar. E apesar de não saber quem eles eram na hora, eu sabia que era uma coisa grande e de respeito que estava acontecendo ali.

Ainda bem que ficou gravado, para que todos possam ver, sempre que for possível esse espetáculo da boa música.
Para quem quiser ver, ainda está passando na TNT.


Também disponível no youtube: http://www.youtube.com/watch?v=-nmPdUiT5ks

sábado, 19 de dezembro de 2009

Os desejos de fim de ano

Criamos, sabe-se lá de onde, o hábito de fazer promessas de ano novo, abaixo a lista das mais prometidas do século:
  • Perder peso
  • Perdoar um amigo
  • Arrumar um novo emprego
  • Parar de beber
  • Começar a malhar
  • Comer um pedaço de pizza só
  • Visitar mais a família
  • Casar
  • Divorciar
  • Fazer terapia
  • Visitar o médico regularmente e não só quando achar que vai morrer
  • Estudar mais
  • Comprar um carro
  • Guardar dinheiro para poder viajar no próximo ano novo
  • Ir à igreja todo domingo
  • Parar de fazer promessas de fim de ano.
Quantas dessas você já fez nos anos anteriores? Quantas cumpriu? Qual delas já prometeu para o ano que vem? Hein, hein, hein?

sábado, 12 de dezembro de 2009

Estourando o limite

De uma coisa eu estou certa: eu ganho pouco. E inspirada por essa revelação eu vou dar as 7 dicas para quem não quer falir com menos de 25 anos.

  1. Nunca, jamais pense em fazer um cartão de crédito, isso é a ruína de quem ganha pouco porque nos faz pensar que temos sempre um dinheiro extra, mas na verdade temos mesmo é uma dívida extra.
  2. Se caiu na besteira de fazer um cartão, não o use. Nunca. É uma tentação, você vê uma coisa bonita e logo pensa nele lá, escondidinho.
  3. Deixe o bendito cartão em casa, peça para alguém esconder, nunca o leve com você, pois certamente aparecerá uma oportunidade para usá-lo.
  4. Caso tenha levado o cartão na bolsa por engano e surgiu a oportunidade, pense 5 vezes antes de usar. Calcule várias vezes quais são suas outras despesas para saber se vai poder pagar a fatura que certamente irá chegar.
  5. Depois de pensar e avaliar decidiu comprar? Dê meia volta e caia fora da loja, quando você estiver a uma certa distância, provavelmente vai começar a pensar com mais clareza e verá que a coisa não valia tanto assim a pena.
  6. A vontade não passou e você voltou a loja? Bem, respire fundo e entregue nas mãos de Deus. Afinal, sempre tem um jeitinho de resolver as coisas.
  7. E por fim, mesmo depois de aliviada com a compra, é provável que você tenha pesadelos todas noites até que a fatura do cartão chegue e seja paga, mas... Valeu a pena, afinal era uma promoção imperdível.
Obs: Baseado em fatos reais.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

E tome Crepúsculo!...

Fico feliz em anunciar que o filme Eclipse, terceiro da saga Crepúsculo, está em fase de pós-produção.
Os trabalhos, segundo o diretor David Slade, estão a todo o vapor, mas não se enganem, a data prevista de estréia continua sendo dia 20 de junho de 2010.
Na internet, há vários meses já pipocam fotos dos bastidores do filme e notícias que dão conta do conteúdo que vai ser alterado na adaptação para cinema.
Além disso há alguns dias, em reportagem da Veja.com, Robert Pattinson e Kristen Stewart deram suas opiniões sobre o filme: "Eu acho que a Bella é um pouco traiçoeira no terceiro filme. Acho que dará uma boa cena", afirmou o intérprete do vampiro Edward Cullen.
Kristen diz: "Estou louca para ver esse triângulo amoroso se tornar um problema de verdade", comentou. "Fomos meio inocentes em Lua Nova, mas isso se tornará algo muito, muito real. Eu sempre apoiei a lealdade que Bella tinha com o Edward e ver isso faltar vai ser interessante".

Para alegria dos curiosos que ainda não viram, vou mostrar uma ou duas fotos interessantes dos bastidores de Eclipse.


Olha só quanta produção para uma cena. Detalhe: essa cena terá cerca de 5 segundos.

Flagra: nem Stephenie Meyer, casada e mãe de dois filhos, resistiu ao charme do Taylor, teve que tirar uma casquinha na garupa dele...


E para finalizar, uma especial com meu lobisomem preferido, Jacob Black.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Crítica de cinema

Ai, ai, acho que não dá mais para fugir desse assunto. Vamos falar de minhas impressões do filme Lua Nova, segundo filme da Saga Crepúsculo.

Grandes espectativas, é claro, descobri que trailer agora é comercial em tela grande. Depois começou o filme. Cena do espelho, tudo ok, depois daí, foi uma vertigem... O filme é maravilhoso!... Para quem não gostou do livro. É sério, conseguiu tirar elogios de meu relutante namorado que foi arrastado para o cinema. Mas de algum modo, apesar de toda a ação (desnecessária) que colocaram, parece que o tempo se arrastou na sala de cinema. Houveram cenas em que solucei, como imaginei que soluçaria vendo o filme e houveram outras que se estragaram no processo de produzir um filme com um zilhão de vezes mais de verba que o primeiro.
É claro que nem tudo está perdido, uma das melhores cenas, para mim, foi o passar do tempo depois que Edward vai embora e Bella fica sem chão, bati meu recorde de tempo consecutivo chorando. Os efeitos dos lobos também arrasaram, pareciam de verdade, espero que eles se empenhem assim para tentar tornar real a maravilhosa Reneésme. Também senti falta da diretora Catherine Hardwicke nesse filme, ela soube melhor como levar o filme, Chris Weitz queria mesmo era chamar os meninos para ver o filme.
Enfim, 'gostei, mas ainda prefiro o livro' é a minha frase oficial, assim como de muitos outros, para descrever Lua Nova. Para quem se interessar, a crítica mais interessante que encontrei está aqui e é do site Omelete, com algumas ressalvas é a que mais se assemelha a minha opinião, é claro que também é muito divertida.