sábado, 26 de maio de 2012

Ser ou não ser

Vi um filme ontem, filme bobinho de adolescente, mas me fez pensar em um assunto - quantas versões de você  mesmo você tem?
Sabe o que eu quero dizer? Não? Vou explicar.

Eu sou a eu do trabalho - atrapalhada, tensa - e também sou a eu rica - quando estou no shopping (não sei porquê, quando estou no shopping acho que sou rica e quero levar tudo). Além dessas também sou a versão namorada que se derrete e tenta ser perfeita (mas não consegue, que fique bem claro), em casa é o meu eu negro que se manifesta, aquele que se irrita com qualquer coisa sei lá por que motivo. E parece que em cada lugar, com cada pessoa diferente eu sou uma versão querendo me adaptar feito um camaleão ao ambiente em que estou. Como se não fosse sufuciente ser eu mesma. Aliás, qual dessas sou eu de verdade? Eu nem sei dizer.

Mas eu sei qual eu prefiro ser - a que eu ainda não sou, a pessoa perfeita que eu ainda pretendo ser um dia. É isso mesmo que você leu, p-e-r-f-e-i-t-a. Como Deus quer. 

Sai pra lá crise existencial!

:-P

2 comentários:

  1. Perfeição é uma loucura. Ainda assim, achamos que de alguma forma ou em alguma coisa, podemos ser perfeitos - e haja matança pra isso. Mesmo que seja perfeito só pra gente. Pode isso? rs

    ResponderExcluir
  2. Acho que às vezes a pessoa mais exigente é a gente mesmo, cada é o juiz de si mesmo, como a gente se vê 24hs por dia, é fácil saber dos defeitos e difícil conviver com eles.

    ResponderExcluir

Fale o que achou