terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Vem logo, 2014!

Weheartit.com
No final do ano a maioria das pessoas faz aquela famosa lista de realizações pro próximo ano, até falei um pouco da que eu fiz pra 2013 aqui. Mas nesse ano não farei uma lista, percebi que isso me deixa frustrada e quero evitar esse tipo de pensamento. Isso não quer dizer que eu não queira que algumas coisas se realizem daqui pra frente.
Em 2014 meus desafios serão... desafiadores. Meus maiores objetivos vão muito além de perder peso e ler tantos livros em tantos dias. O que eu realmente quero é uma mudança de pensamento e de atitude. Há muito tempo eu percebi que sou a única culpada pelos meus erros, mas também sou a única responsável pelos meus acertos, então o meu objetivo é esse: tornar o número de acertos maior do que o de erros. Já passei muito tempo me lamentando pelo que deu errado, agora é hora de fazer dar certo.
E o que eu espero com isso? Melhorar a qualidade dos meus pensamentos, ter atitudes mais positivas e efetivas e perder o medo de fazer algo grande, de ser grande.
Eu sei que é um longo processo, mas eu tenho que começar um dia e por que não agora?
Sou grata também pelas coisas que passaram, tive muitas boas lembranças, principalmente graças a amigos, novos e antigos, a maioria nem sabe o quanto foi importante pra mim nesse ano que está indo embora. E as lições que aprendi... ah, foram tantas, quanta coisa a vida me mostrou esse ano, muitas coisas eu pude consertar. É, foi um ano bom sim.
Então, caros leitores, é isso que eu desejo pra mim e pra vocês também: escolher um objetivo, correr atrás e fazer o melhor. Não deseje nada puro e simplesmente, deseje força e vontade pra realizar suas mudanças, seus desejos. Nem tudo depende de nós, mas a maior parte vem do esforço e persistência.
Daqui pra frente veremos as coisas como realmente são, certo?

Enfim, desejo a todos que acompanharam o blog durante o ano ou que conheceram agora, que comentaram ou não, que me fizeram amar mais ainda esse espacinho, um ano maravilhoso, cheio de novidades, sucesso, amor e paz de espírito.

Feliz 2014!

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Sobre o Fim de Semana


Esse foi o último fim de semana do ano e sem querer fiz dele um dos melhores. No sábado matei minha vontade de ir à praia e ainda a saudade de duas amigas de escola. Muito bom rever gente que a gente gosta e não vê há muito tempo. Rimos demais e sol mesmo eu evitei porque né, morro de medo de ficar ardendo/descascando/com insolação e estava muito calor mesmo, tipo mais do que é suportável. Queimei até o pé na areia assim que cheguei.
No domingo fui ver a exposição da Yayoi Kusama, Obsessão Infinita no CCBB. Já fazia um tempo que queria ver e surgiu essa oportunidade de ir com mais meninas da época da escola, fui e amei. Se você quiser ver, fica até 20 de Janeiro, mas eu aconselho a não deixar pra última hora porque as filas ficam quilométricas. Pena que esqueci de levar a câmera e todas as fotos foram tiradas com o celular, cada uma tirou um pouco e juntamos todas as fotos. hehe


domingo, 29 de dezembro de 2013

Resenha: Deixe a Neve Cair





Nada como um livro em clima de Natal pra ler durante os preparativos. Há uns dias atrás passei na Cultura (♥) e dei de cara com ele, claro, não resisti e trouxe pra casa como um pré-natal.
Deixe a Neve Cair (Let it snow) é uma parceria entre três autores: John Green, Lauren Myracle e Maureen Johnson. 
Na noite de Natal, uma tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio para encontros românticos. Em “Deixe a Neve Cair”, bem sucedida parceria entre três autores de grande sucesso entre os jovens, John Green, Lauren Myracle e Maureen Johnson escrevem três hilários e encantadores contos de amor, com direito a surpreendentes armadilhas do destino e beijos de tirar o fôlego. E provam que o amor verdadeiro pode acontecer quando e onde menos se espera.
Cada conto é de um autor e elas vão se interligando até que todos os personagens se encontrem. É muito legal. O Natal é apenas o plano de fundo pra três histórias de amor muito fofas vividas pelos personagens quando estes pensavam que estavam em busca de outra coisa.
Na primeira história, "O Expresso Jubileu", uma menina apaixonada pelo namorado é obrigada a passar o Natal longe dele porque os pais são presos por um motivo muito bobo. No trem a caminho da casa deles a nevasca impede que todos cheguem ao destino e Jubileu acaba indo parar numa Waffle House onde tudo começa a mudar. No segundo conto - O Milagre da Torcida de Natal" -, três amigos - Duke (uma menina), Tobin e JP - estão numa verdadeira maratona para chegar na Waffle House no meio da nevasca antes de outros meninos, tudo por causa de um grupo de líderes de torcida que eles querem "conhecer". E no último, "O Santo Padroeiro dos Porcos", Addie sofreu uma separação traumática do namorado e está numa tremenda fossa no dia seguinte ao Natal quando suas amigas Tegan e Dorie encontram uma tarefa importantíssima pra que ela prove que não é uma egoísta.
A história que mais gostei foi "O Milagre da Torcida de Natal", que é do John Green. Os personagens são muito engraçados, meio hiperbólicos e fofinhos. A primeira também é muito boa e ficou quase empatada com a segunda, só a terceira que não gostei tanto, quer dizer, em comparação com as outras. Acho que é porque a Addie parece muito comigo e eu ficava irritada com ela o tempo todo, mas a história tem seus momentos. Todas as três histórias prendem a atenção e dão aquela vontade de ler até o final pra saber o que vai acontecer e quando eu comecei a entender onde tudo ia chegar fiz um "eeeê!" e vários "own".
O Natal já passou mas o livro continua sendo uma boa opção de leitura de férias, leve e divertida.



Livro: Deixe a Neve Cair
Autores: John Green, Lauren Myracle e Maureen Johnson
Editora: Rocco Jovens Leitores

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Um feliz Natal a todos!


Eu sei que o Natal já está quase no fim, mas quero aproveitar o momento de quase tranquilidade aqui em casa pra desejar os melhores votos de amor e paz pra você que acompanha esse humilde blog. Mesmo que você não tenha uma religião há um bom motivo pra amar o Natal e comemorar com muita vontade: essa é a época da bondade, do amor, do perdão e do recomeço, então se você se arrepende de algo e tem alguém a quem precisa dizer que ama, essa é a melhor hora.
Esse clima que fica no ar nessa época é o mais gostoso do mundo e eu amo demais.
E agora que estão todos empanturrados de comida e espírito natalino, que tal passar a noite assistindo episódios de Natal das suas séries preferidas? O Nem um pouco épico fez uma lista bem legal e eu ainda acrescentaria a essa lista The OC, 2 Broke Girls, Bones e New Girl. Pra prolongar essa sensação boa de Natal e azia.

Feliz Natal!!!






PS: Tirei essas fotos dos enfeites enquanto testava um truquezinho com a lente da câmera.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

BC - Melhores do Ano



Finalmente consigo participar da Blogagem Coletiva do Kakau com Limão.   \o/
O tema é melhores do ano, sendo que nem tudo é desse ano, na verdade eu levei em consideração o que eu gostei muito durante o ano, independentemente de quando foi lançado então talvez tenha coisas antigas e vocês vão falar "mas como você só foi conhecer isso agora" e sim, eu sou sempre atrasada. Mas vamos lá.

Melhores Filmes

Em Chamas


Bastardos Inglórios


Django Livre


Melhores Livros

As Vantagens de Ser Invisível


Sal



Melhores Músicas

Do I Wanna Know


Royals



I Could've been your girl



Melhor Blog



Melhores Séries

Breaking Bad

Só comecei a assistir quando acabou, ainda bem porque ia ser tenso esperar

The Walking Dead

Só comecei a assistir esse ano porque sim
Bones

Já faz anos que é a melhor
Melhor Investimento


Melhor comida

Penne ao creme de leite (mistureba minha)



Melhor frase
"Quero que você saiba que sou feliz e triste ao mesmo tempo." - As Vantagens de ser invisível


E você, concorda ou sem corda? (triste esse trocadilho)
Quem quiser participar da blogagem coletiva pode entrar no grupo Kakau com Limão no Facebook ou falar direto com a Karina

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Filme - Nick and Norah's Infinite Playlist


Esse filme não é novidade, é de 2008, mas achei ele pelo Netflix e fiquei com vontade de ver porque tem Kat Dennings e Michael Cera como personagens principais. Foi meu escolhido pra noite de sexta-feira preguiçosa aqui em casa. 
Nick foi deixado pela namorada, Triss e está arrasado. Norah é a melhor amiga que Caroline pode ter. Quando todos descobrem que a banda Where's Fluffy vai tocar em algum lugar de Nova York todos vão pra lá esperando por um show histórico. No meio da procura Norah conhece Nick enquanto tenta provar para Triss que não está desacompanhada na cidade e a partir daí uma outra busca começa: encontrar a amiga bêbada de Norah que sumiu pelas ruas de NY. Enquanto procuram, Nick e Norah se conhecem e se gostam e a noite está apenas começando.
A história do filme é exatamente o tipo que eu gosto: fala sobre música, o filme todo gira em torno da música, de bandas e a procura por um show muito bom, além do romance, óbvio. Eu gosto quando um filme apresenta esse lado independente da cena musical, sempre fico me perguntando se em outros países as bandas sem gravadora são tão valorizadas quanto nesses filmes, já que aqui eu vejo tantas bandas incríveis tendo que se esforçar muito para um reconhecimento mínimo. Os personagens não tem nada dos estereótipos que costumamos ver em filmes adolescentes, são apenas jovens normais e as cenas são tão delicadas que dá pra se apaixonar também, além de ter um humor soft e apesar do filme em si ser meio fraco, eu gostei muito. É claro que a trilha sonora é um ponto forte, com estilo rock alternativo que eu amo e odeio ao mesmo tempo, tem Vampire Weekend, We Are Scientists, Band of Horses e outros que eu não conheço, mas gostei de ouvir.
E pra deixar ainda melhor, o filme é baseado em um livro dos autores Rachel Cohn e David Levithan. Isso quer dizer que... tenho mais um livro na minha lista. Então recomendo para aqueles dias em que a gente só quer ficar deitada no sofá comendo besteira e assistindo filmes bobinhos, ou será que isso se chama TPM? Enfim... gostei.



 As capas do livro

Achei essa muito feia

Nunca gosto das capas com imagens de filme

Essa foi a que mais gostei, mas não achei pra vender
PS: Repararam nas fotos maiores? Cismei com isso e daqui pra frente vou colocar maior mesmo porque acho que fica mais bonito, queria até colocar maior, mas dá um errinho e elas ultrapassam a área do post. Se alguém souber como faz pra consertar me fala, please. Ah! E pra quem não sabe, se clicar nas fotos elas ficam maiores, não sei por que nunca avisei isso antes.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Resenha - Sal




Esse ano teve muitos lançamentos ótimos de várias editoras, mas o que eu mais gostei, acompanhei e quis pra mim foi Sal da Leticia Wierzchowski. Eu contei em outro post que esperei pra comprar o meu na Bienal porque ela estaria lá e foi isso que aconteceu, tenho o meu autografado e lindo aqui em casa. Demorei a ler por causa da faculdade e tal, mas assim que entrei de férias comecei a leitura. Hoje trago pra vocês a minha humilde opinião sobre esse livro.
Um farol enlouquecido deixa desamparados os homens do mar que circulam em torno da pequena e isolada ilha de La Duiva. Sob sua luz vacilante, a matriarca da família Godoy reconstitui as cicatrizes do passado. Em sua interminável tapeçaria, Cecília entrelaça as sinas de Ivan, seu marido, e de seus filhos ausentes, elegendo uma cor para cada um. Com uma linguagem poética, a premiada escritora gaúcha Leticia Wierzchowski, autora de A casa das sete mulheres, dá voz e vida a cada um dos integrantes da família Godoy, criando uma história delicada e surpreendente, enriquecida por múltiplos e divergentes pontos de vista.
 Sal é uma obra que mescla a narrativa com um toque todo poético muito gostoso de ler e emocionante principalmente. Já nas primeiras páginas eu me vi em La Duiva sentindo a brisa do mar. Desde o começo eu sabia que a história seria trágica, mas é impossível não torcer pra que tudo dê certo com todos os personagens. Aliás, é impressionante o jeito como eles vão se intercalando, surgindo e se mostrando aos poucos, às vezes falando por si ou sob a perspectiva de outro membro da família. Outro ponto a destacar é a delicadeza com que os assuntos são tratados, desde o casamento, a rivalidade entre irmãos e homossexualidade. Correndo o risco de parecer idiota, li o livro me sentindo como se estivesse no balanceio de um barco, as palavras eram as ondas que me levavam de um lado para outro e se fiquei poética assim descrevendo como me senti, é tudo culpa da autora. hehe
Enfim, mais do que recomendado. E ainda destaco o fato do livro ser nacional, de uma autora ótima, portanto, dicona pra quem procura valorizar o que é nosso com prazer e propriedade.


Livro: Sal
Autora: Leticia Wierzchowski
Editora: Intrínseca


segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

DIY - Porta Lápis com colagem


Quando comprei os materiais pro quadro de fotos também comprei um porta lápis de madeira já pensando em fazer uma colagem linda nele. Aproveitei o domingo preguiçoso pra completar minha missão. Só posso dizer que estou apaixonada por ele, fico olhando toda hora.
Mais uma vez não tenho passo a passo porque é fácil demais. Vou explicar:
  • Escolhi as figuras que queria colocar. A maioria é de revistas antigas que eu tenho guardadas. Sabia que elas ainda seriam úteis novamente (!).
    Pelo que vi nas zinternet, geralmente se pinta a madeira de branco, mas eu não tinha tinta branca e foi como estava mesmo. Como usei fotos de revista, que é um papel mais grosso, não deu diferença, mas se fizer com jornal acho que altera a cor da foto por ser fininho.
  • Misturei numa vasilha 1 parte de cola branca e 1 parte de água. Joguei fora grande parte depois, então não precisa colocar muito.
  • Escolhi as fotos maiores primeiro, passei cola no verso e colei no porta lápis. Depois fui encaixando imagens menores pra cobrir o fundo todo. Aqui talvez você queira colar imagens grandes (do tamanho do lado da madeira) e depois ir colocando imagens menores pra colorir porque foi difícil cobrir os buraquinhos menores depois que coloquei todas as imagens que tinha escolhido antes. Tive que pegar umas bem pequenas pra colar neles.
  • Depois de preencher todos (ou quase todos, no meu caso) os espaços na madeira (algumas fotos ficam por cima das outras mesmo, o efeito é bem legal) eu passei duas demãos da mistura de cola, esperando secar entre elas. Não ficou brilhoso como eu imaginava mas ficou bonito, meio fosco, mas de um jeito diferente, não sei explicar.
  • Em baixo eu coloquei uma imagem do tamanho do fundo - e esqueci de tirar foto - porque já estava meio que perdendo a paciência. hehe
  • Pintei a borda de azul meio de qualquer jeito. Eu nem queria pintar, mas como antes eu tinha pensado em colar as fotos passando da borda e depois mudei de ideia, já tinha uma colada que não saiu de jeito nenhum, então dei 3 demãos de tinta e cobriu direitinho.




 








O Capa sendo curioso

Gostaram? Espero opiniões sinceras.

;)

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Shorts pro verão

Na minha eterna busca por pagar barato por roupas bonitas encontrei a Sammydress. Esse site é daqueles com um monte de peças lindas e com preços bem baratinhos. Algumas blogueiras que eu sigo já tinham falado bem sobre ele e eu me sinto segura pra falar também. O Sammydress vende todo tipo de roupa: blusas, calças, shorts, camisetas, leggings, acessórios, tanto pra mulheres quanto pra homens. Tem até itens de decoração. O prazo de entrega é meio demorado, pode demorar mais de um mês pra chegar, então não adianta comprar roupa com data marcada pra usar, mas se você não tiver pressa vale a pena pela economia. É bom lembrar também que você deve acrescentar o valor do frete ao cálculo final das suas compras pra não levar um susto. Acredite, você vai sair colocando tudo no carrinho. hehe
Como eu estou numa fase de usar shorts porque não aguento usar calça nesse calor, fui lá procurar opções bonitas pra que eu possa andar de short sem parecer mulambenta. Encontrei esses aqui e me apaixonei, acho que vou comprar, o que vocês acham?




Depois eu conto pra vocês o que achei. Mas me contem, qual a peça preferida de vocês pro verão?

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

A relação entre internet, livros e bulling


Eu estava aqui de boas, vendo as hashtags relacionadas a livros no Instagram com muitas fotos de jovens e comecei a pensar no tempo em que eu era adolescente - difícil encarar o fato de que não sou mais - e levava um livro pra todos os lugares que eu ia. Pensei nos tempos de escola em que uma pessoa como eu, que preferia passar o recreio lendo uma história ao invés de ficar conversando ou correndo, era sempre tachada de estranha, nerd, bobinha, entre outras coisas. Naquela época não existia a palavra bulling aqui no Brasil, mas era isso mesmo, pura discriminação por ser diferente, querer algo diferente do que a maioria.
Ainda bem que as coisas mudam e agora é moda gostar de livro - quem diria!, quero dizer, agora gostar de ler é legal e te faz ser admirado. Ou quem sabe seja culpa da internet que faz com que as pessoas que amam ler possam se encontrar e falar sobre isso e se sentirem incluídas, encontradas, amadas e abraçadas por outras pessoas com o mesmo interesse, elas não precisam mais se sentir solitárias (mesmo que sejam as únicas da turma que gostam de ler) porque sabem que em algum lugar por aí, no Brasil, no mundo, tem alguém que está lendo nesse exato momento o mesmo livro que elas e sabem que tem em algum lugar um igual, mesmo que à distância.
Ainda bem que hoje eu posso abrir meu navegador e encontrar tantos blogs dedicados exclusivamente ao livros que me deram tantas alegrias e outros tantos de assuntos variados que também tem um espacinho pros queridos livros (como esse) porque todo mundo tem um livro preferido, mesmo que tenha sido o único que leu a vida inteira.
E assim eu sei que os mais novos vão sim continuar a se abrigar em seus livros, seus companheiros quando as coisas não estiverem dando certo e que eles nunca serão ultrapassados por nenhuma tecnologia e que eles não estão sozinhos como eu também não estive por causa desses livros.
E ainda teve gente que disse que a internet ia substituir o livro...




Falando em Instagram, já me segue lá? Clica aqui.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Filme: Thor - O mundo sombrio

Domingo bom é domingo com cinema. No último domingo Branco e eu fomos ver Thor - O Mundo Sombrio e eu vim contar minhas impressões sobre o filme.
O segundo filme se passa depois do que aconteceu em Os Vingadores. Enquanto Thor luta pela paz entre os nove reinos um novo vilão tenta deixar o universo todo nas trevas. Jane sem querer é a chave pra isso acontecer, então Thor se junta a Lock para tentar deter esse desastre.

Eu sou meio suspeita pra falar de filmes de deuses e heróis, ainda mais quando os personagens são os dois ao mesmo tempo. É bem verdade que a continuação de Thor é quase tão lenta quanto a primeira parte, não tem tanta ação quanto se espera de heróis com super poderes. O legal mesmo são os diálogos, os efeitos, os atores. Temos os músculos perfeitos do Chris Hemsworth (sou mais ele do que o Liam) fazendo a imagem do filme, mas meu coração pertence ao Lock, não tem jeito. Ele faz as melhores cenas, sarcástico, falsamente educado, todo lindo ou descabelado e ainda dança. Natalie Portman é tão fantástica que além de arrasar no drama, também sabe fazer rir, ela devia aparecer mais no filme e Kat Dennings (de 2 Broke Girls) é bem engraçada, até porque ela domina a comédia sarcástico-autodepreciativa. As cenas de batalha são muito legais e os momentos de tensão estão bem feitos, quebrados de vez em quando por uma piadinha às vezes muito óbvia. Senti muita falta dos amigos do Thor - Volstagg, Sif, Hogun e Fandral - que quase não aparecem, eles são ótimos, até deixaram o primeiro filme mais legal e ficaram quase esquecidos nesse.
Uma cena boa: Frigga mostrando que não é só a mulher do rei, mas uma guerreira de verdade.
Com certeza houve uma boa evolução em relação ao antecessor e espero que o terceiro seja ainda melhor (sim, senhores, temos um gancho para uma continução).
Recomendo que vocês assistam em 3D, eu assisti e as cenas ficam muito mais bonitas.






Até os deuses precisam da aprovação da família sobre a namorada