sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Do momento em que me resignei, perdi toda a vivacidade


Eu e essa minha mania de postar na sexta-feira à noite, mesmo sabendo que ninguém vai ler nada a essa hora. Mas não importa, vai ver que não era mesmo pra ninguém ler, afinal isso é apenas uma dúvida que surgiu aqui na minha mente.
Acabei de ouvir uma coisa que me deixou pensativa: a vida te afasta das pessoas que te puxam pra baixo. Isso num contexto de que pra realizar seus grandes sonhos você precisa tomar a decisão de deixar algumas pessoas pra trás. Isso não é bem novidade, é só ler a história de alguém que foi bem sucedido em algo na vida que você vai achar a parte em que se conta de um amigo, um parente, um amante que foi deixado porque não se encaixava nos planos da pessoa. Está lá, na biografia das maiores personalidades que já viveram, algo sempre ficou pra trás. Será que é mesmo necessário abandonar quem amamos por um objetivo maior? Sempre vale a pena? E se não der certo, ficamos sem elas e sem o sonho?
Será que tudo na vida tem que ser tão radical?
Seria isso egoísmo? Ou é apenas culpar os outros pelas suas escolhas?
É claro que existem aqueles indivíduos que sempre falam "ih, esquece isso, não vai dar certo" ou "só rindo de você com esses seus sonhos de ver o mundo" e essas pessoas não tem conserto? Não dá pra levar elas junto rumo ao seu sonho? Ou seria carregar peso morto?
O quanto do que você é se pode atribuir a quem está por perto? Você seria diferente se não tivesse conhecido esse alguém, se tivesse nascido em outra família? O que você seria? Melhor? Pior?
Ah... a vida e suas perguntas que só são respondidas se a gente arriscar.
O que cria mais arrependimento, dar um grande passo que não se sabe onde vai dar ou continuar onde está e esperar a onda que vai te levar à frente? E qual das duas opções te deixa mais perto da felicidade?

Desculpa aê se você leu isso e estragou sua noite de sexta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale o que achou