sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Dica gastronômica: Beco do Hamburguer

Foto: https://www.facebook.com/becodohamburguer

Nessas férias eu pus na cabeça que queria aproveitar meu tempo $$$ pra conhecer novos lugares e fugir do cardápio hambúrguer fast food/podrão-subway-domino's-japa-habib's - eu vivo disso, gente. Graças ao bom Deus, hambúrguer tá na moda, quer dizer, acho que ainda tá - não importa - e faz tempo que surgiram opções muito mais saborosas do que as grandes redes que não me enchem os olhos. Prefiro mil vezes um podrão conhecido do que gastar fortunas nesses lugares.

Aproveitei uma ida ao Centro do Rio pra almoçar no Beco do Hamburguer, uma hamburgueria (daaã...) que fica no Beco dos Barbeiros, pertinho da Saraiva do Ouvidor. Eu já tinha lido a respeito e sabia que as opções eram simples, mas quando cheguei lá e vi a coluna de preço dessas poucas opções quase dei meia volta e fui embora. Olhei pro Branco e perguntei "e aí?" Ele deu de ombros e disse "vou ficar com fome...". Daí eu disse "calma, vai dar tudo certo". E deu. Foi mais ou menos isso.

É o seguinte: lá tem hambúrguer, cheesebúrguer, hambúrguer duplo e cheesebúrguer duplo. E só. Aí você escolhe se quer salada (com cebola roxa, maravilhoso), picles, molho da casa, ketchup e mostarda. Bacon é acompanhamento. Tem batata frita e refrigerante refil. Aí você pensa, como pensamos, que isso deve ser ruim, gente, cadê o tanto de coisa que a gente tá acostumado a pedir? Não precisa de nada disso, gente. O trem é tão bom que o resto é exagero. O Branco pediu um cheesebúrguer duplo com bacon, batata e refri e eu um normal com bacon e batata. A gente já planejando sair de lá e tomar um milkshake pra fechar a refeição, mas aí olhamos pra grelha e vimos o maravilhoso tamanho de hambúrguer e começamos a desconfiar que o negócio era sério. É uma carne linda e bem fresca, dá pra ver. O queijo é caprichado e vem beeeem derretido, uma coisa de emocionar. Bacon sem miséria e pão quentinho e macio - é feito de batata.

A Batata
Eu quero deixar aqui um parágrafo especialmente dedicado a batata frita. É sequinha. É crocante. É temperada. Vem bastante. É incrível. Se você quiser ir lá só pra comer a batata, vai sair satisfeito não só pela quantidade - não é taaaanto assim, mas acredite quando eu digo que se não for com fome não vai aguentar a batata e o hambúrguer -, mas principalmente pelo sabor. Sério. Tô pensando nela com amor agora.

E o hambúrguer?
Vocês acham que eu ia me dar ao trabalho de escrever sobre um hambúrguer ruim? Aquilo lá é maravilhoso. É chocante. Você come e se lembra como a vida é boa. Vem mal passado - não perguntei se dá pra pedir bem porque gosto assim - e é bem temperado. O molho deles é uma delícia, você tá lá naquela explosão de sabores e vem a salada com a cebola roxa e deixa tudo ainda melhor. O meu, sendo o simples, já tive dificuldade de comer, é bem grande. O Branco comeu o dele todo, mas trouxe a batata pra casa, já eu comi a minha todinha e tive que afrouxar a saia depois. ¯\_(ツ)_/¯
Depois de comer fiquei muito pensativa, do jeito que só se fica quando se come bem.

O ambiente 
É bem bonitinho, refrigerado, limpo e confortável. Tem mesinhas e balcões do lado de dentro e mais balcões do lado de fora, achei bem bom e apesar de cheio, não ficamos sufocados, tudo era bem organizado.

O valor
Bom, não me lembro direito, mas acho que o meu ficou por volta de R$23 e o do Branco, R$27. Batata, refri e adicional achei o valor parecido com qualquer fastfood da vida, só que não tem combo. O hambúrguer certamente é mais caro do que o que eu estou acostumada a pagar, mas pela qualidade, está mais do que justo.

Quero voltar lá bem depressa. Beco do Hamburguer, já tô com saudade.

Lá abre pro almoço, viu, gente, afinal é centro. De 11 às 18, segunda a sexta.
Onde: Beco dos Barbeiros, 6A, Centro, Rio de Janeiro

P.S.: Não tirei foto de nada, infelizmente, porque o namorado tem aversão a esse tipo de modernidade - que esquisito tirar foto de comida... - então me perdoem, vão ter que acreditar na minha palavra de honra de que é muito bom. Eu sou exigente, podem acreditar.

Um comentário:

Fale o que achou