segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Me chamaram de gorda

 Antes de mais nada, resolvi ilustrar esse post só com gifs do Michael Scott porque sim. Agora vamos ao assunto.

Um cara no trabalho fez isso, disse que estou gorda. Assim, sem mais nem menos "você engordou, hein, Mariana". Não é meu amigo, nem meu médico, nem alguém que algum dia tenha se preocupado com meu bem estar físico ou mental. É só mais um exemplo do tipo de homem com que nós, mulheres, temos que lidar diariamente.


Talvez você esteja se perguntando o que eu respondi. Eu conto. Embora ele não merecesse uma resposta, eu dei a ele o benefício da dúvida e a oportunidade de desdizer a ofensa velada. Perguntei mais de uma vez o que ele tinha falado, que não tinha ouvido direito,  e ele com risinho de deboche e olho de peixe morto repetiu tudo, então só me restou responder que o corpo é meu e o que eu como e cago é problema meu, obrigada.


Resposta infantil? Com certeza. Mal educada? Sim. Mas não me arrependo. Porque nada justifica que no meio de um monte de gente um cara solte uma observação maldosa assim só pra ser engraçadinho. É claro que não foi a primeira vez que ele disse coisas assim, é uma pessoa que meu santo não bate mesmo, sempre respiro fundo e saio andando, ignoro. Mas nesse dia, não sei, não quis me calar. Não acho que eu devia. Pode ser que ele estivesse refletindo os próprios problemas em mim, pode ser que alguém tenha ensinado a ele que pode fazer isso, mas isso é problema dele, não meu. Ninguém vai me desvalorizar por causa do meu peso, não vai ficar sem resposta.
Existem mesmo homens assim: que mexem com a autoestima das mulheres só pra se divertir, ou porque acham que assim vão conquistar alguma coisa, por puro despeito ou só pra se autoafirmar. Se a gente se ofende "era só uma brincadeira" ou somos esquentadinhas.

Agora vejam bem, eu estou há dois meses, acho que mais, em um tratamento contra uma uveíte maldita que não quer ir embora, tomando corticoide e pingando colírio todo dia no olho. Junte-se a isso minha jornada dupla estágio-trabalho, mais a semana de provas da faculdade. Eu sem dormir direito há dias e extremamente ansiosa com tudo, inclusive sim, comendo um monte de besteira. E vem um babaca desse fazer graça com minha cara. Poderia ser qualquer outra ofensa, mas ele escolheu essa e acertou em cheio. Até quando as pessoas vão achar que tem o direito de opinar sobre a vida dos outros sem permissão? Um grande desafio pra mim é conviver com gente assim, juro pra vocês que tem dia que é muito difícil sair de casa sabendo que vou lidar com elas.

Demorei a falar sobre isso, mas queria contar aqui no blog. Não sei fazer discurso pra aumentar auto-estima, Deus sabe como eu ainda tenho que trabalhar a minha, mas se tem uma coisa que tem que ser dita é que ninguém tem nada a ver com meu peso, com minhas roupas, com o que eu vejo, escuto, faço, penso, isso é tudo meu e de mais ninguém. Vamos ter um filtro aí, minha gente. A humanidade agradece.

Quanto ao intrometido do trabalho, foi promovido e foi pra bem longe de mim, ainda bem. Menos um pra perturbar meu juízo.


Sobre lidar com sua auto-imagem, se livrar de gente sem noção, ser mulher no século 21 e outros assuntos incríveis e bem escritos, recomendo o Lugar de Mulher pra quem ainda não conhece. Melhores textos.

4 comentários:

  1. Olha, acho mais é que a gente tem que dizer mesmo. Não que isso faça ele mudar o comportamento frente à outras mulheres, mas pelo menos com você, não mais. E talvez tenha servido de recado pra outras pessoas também.

    Fez foi bem.

    bêjo,
    Re

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, acho que já foi o tempo que a gente tinha que ficar calada ouvindo esse tipo de besteira.

      Excluir
  2. Minha filha,não deixe que ninguém te coloque para baixo vc é linda e ele um babaca,
    Te Amo!

    ResponderExcluir

Fale o que achou